Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

A IDADE DO ESPANTO

20.11.20 | Sandra

3358468_M.jpg

São coloridos os acordares
nestas manhãs
feitas dos sorrisos
que, rindo, caem do sol.
Nuvens macias
trocam segredos
no leito nu e morno
do céu esquecido de acordar.
Na extensão dos secos prados
descansam bravas, dóceis,
ervas douradas e ondulantes.
Conversam com Deuses
que se passeiam, altivos,
pela brisa cálida, de veludo.
Em praias distantes
de vastos areais
e eruditas, negras rochas,
gaivotas compõem
murmúrios que o mar
há-de ondular em calmas marés.
E o Mundo,
aos poucos desperta,
espreguiça-se devagar,
sacode bravos desertos,
as mais altas montanhas
os grandes rios do mundo
as florestas mais densas.

E pousa, em esquecidas enseadas,
o Tempo sublime
que sem pressa
recria histórias,
reinventa trajetos,
embala a humanidade!
É este o momento,
a idade do espanto,
em que me entrego
sem incógnitas
a coloridas manhãs
em todo o macio calor
da nudez dos meus sentidos.

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2