Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Ao Ler-te

19.05.22 | Sandra

px-downloadgcfaeabc845cfcdf4b2df251b878dba95730a8c

É uma fuga de nós mesmos, mas que acaba por nos conduzir a quem somos: não apenas gente entre gentes, mas algo mais concreto, que oscila entre o animal, o humano e o divino. É isso que sinto ao ler-te: a fuga, o mistério, a sensação de descoberta, o reconhecimento de algo maior.

Leio-te sob o silêncio da noite que gira em torno de uma lua extremamente poderosa - porque é ela livre dos desejos e dos caprichos humanos. Nesse silêncio leio-te, sempre e mais um pouco, até eu mesma ser a textura das tuas palavras, até fazer parte do calor das entrelinhas que deixas, e que deslizam vagarosamente pela minha pele, pontos cardeais teus arrepiando a alma e provocando os meus sentidos.

Leio-te e permaneço sempre menina-mulher, aquela que à noite despe de forma apressada roupas e segundos passados, para se vestir com a urgência das letras do teu nome. E a lua tudo vê...

 

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.