Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

BALOUÇO

13.02.21 | Sandra

1840538_S.jpg

Balouço-me nas horas gentis
plenas, agrestes,
que desconhecem
tempos e sentidos.
Como cartas ao vento,
balanço em sorrisos,
abraços, promessas,
palavras silvestres que,
como ervas do campo,
se balançam no
sol adocicado
da tarde transparente.
Subo ao alto, destemida,
atiro sonhos feitos de
brisas e buscas de tanto;
e ao descer,
mergulho como gaivota
na realidade fresca
das palavras esvoaçantes
que destapam a alma.
E assim me elevo, disperso,
bandeira de cores ao vento, 
vela forte, enfunada,
naquele constante balouçar
onde espaço e tempo
não determinam quem sou:
apenas me embalo
na paisagem circundante
que, ingénua, se balança comigo.

45 comentários

Comentar post

Pág. 1/3