Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

CISNES

26.02.21 | Sandra

5840731_S.jpg

Indiferentes ao dia ensonado que os espreita, deslizam os cisnes pela água tépida e escurecida do lago.
Provocam alterações na superfície da água, enquanto silenciosamente distorcem os ponteiros das horas apressadas. De forma altiva, debicam as palavras de todos os tempos, onde boiam folhas e ramos finos, e as tartarugas tontas olham o céu. No brilho do calor parado da tarde, enquanto cigarras desfilam a sua exuberância, os cisnes ignoram as árvores, as nuvens, o arrulhar dos pombos. Passa um gato. Cobiça-lhes as penas aprumadas, brancas, lisas. Mas logo desiste e prossegue pelos seus vagares. São cisnes. Pertencem às lendas e aos mitos, a simbologias, a desfiles em passadeiras vermelhas e a luares convictos. E deslizam sempre, na sua noção do irreal e do místico. Um dia cantarão, e o lago contará histórias sobre eles.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.