Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

DE TODOS

22.10.20 | Sandra

 

3755884_S.jpg

Não é meu, o caminho. É de gentes, ruas, casas, memórias. Mas nele demoro os meus passos. Na calma contemplação, ladeada pela cal brilhante dos muros, respiro a fé que pelo caminho passeia-se comigo. Piso as pedras do chão que, com o tempo do seu lado, ecoam crenças e rezas que chegam de todas as esquinas. Não me apresso; sigo leve, passo a passo, confiando orações dispersas. Árvores, gatos, pessoas, pardais. De todos é o caminho que verga paisagens, sons, ideais, superstições. As pedras, donas de pensamentos alheios deixados cair dos bolsos dos sonhos, são como uma constante procura de um regresso à inocência. À sua maneira, entendem-se em gratidão com a chuva mansa ou adormecem felizes sob um sol enamorado. É o caminho, um caminho solto em auroras ou crepúsculos, um caminho não meu mas de todos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.