Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Divagações

21.05.23 | Sandra

px-downloadg2b4971776be48401e788108b89fcff6029ec61

Foi fácil chegar a ti, quando tu vieste de um tempo tão longínquo só para chegares a mim também.

Os teus olhos eram o perfume que a terra seca liberta quando recebe nela as primeiras chuvas, na tua voz sentia-se o sal e o sol de todas as praias, em intermináveis dias quentes de verão; e cada gesto teu tecia cada um de todos os nossos sonhos, prazeres e coincidências.

Mas trazias nos bolsos gaiolas cheias de fantasmas vivos, que te murmuravam palavras tão duras e frias como o núcleo dos cometas distantes que varrem o universo desconhecido. Podias ter ordenado que se silenciassem para sempre mas preferiste ouvi-los, a esses fantasmas - até passares a ser um deles. Quem te irá querer agora?

Talvez um dia apareças novamente vindo de algum outro tempo longínquo, habitado por estranhos seres, rezas e mezinhas; talvez um dia apareças de lá só para me veres de novo, e dentro das gaiolas que sempre carregas (pois são parte de ti), venham apenas flores, poesia e brisa cálida com sabor a carícias íntimas. Talvez aí, nesse momento, haja amor novamente e eu regresse também para sermos um só.

55 comentários

Comentar post

Pág. 1/3