Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Estrelas

25.11.22 | Sandra

px-downloadg985ca6d58489ea650a46dff25fc4c011d427d4

Está muito frio. Num céu que aumenta a sensação de vazio e de solidão, já brilha a primeira estrela, enorme! Estamos na era das estrelas. São biliões, só na nossa galáxia. Um dia todas elas apagar-se-ão, uma a uma, mas por ora enchem os céus, os cadernos dos poetas e os corações dos amantes, em forma de poema puro.

Os anjos estão por todo o lado. Não os vemos, muitos deles escondem-se dentro das pessoas. Nesta noite, também eles observam as estrelas. Mas sabem mais, muito mais do que nós, humanos; muito mais do que os astrónomos e os astrofísicos, os filósofos, os céticos e os religiosos.

Faz-se tarde. Na noite que cumpre desígnios por nós desconhecidos, o frio adensa-se. De longe, de muito longe, num lugar escuro, silencioso e gelado, observam-nos as estrelas também. E de lá do alto, onde as estrelas medem forças e moldam a realidade, a noite cá em baixo parece maior, um gigante vazio cheio de nada, onde a raça humana mede também ela forças, tenta moldar a sua realidade e a dos outros. Mas continuamos sem saber nada. Apenas existimos. É essa a nossa condição.

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2