Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

GRANDIOSIDADE

08.12.20 | Sandra

3447463_S.jpg

Abre-se a tarde em luz. Um sol tímido espreita, finalmente, entre nuvens que ainda marcam presença num céu frio e impiedoso. Do lugar alto onde estás, ficas completamente absorto nessa paisagem sem fronteiras. Misturas-te com os montes e a vegetação, as pedras e os horizontes, as cores e a grandiosidade que te cerca, e que faz de ti tanto de quem és. Tens em ti tanto da natureza que faz parte dos teus dias: o mar, as dunas, a serra, o monte, os arvoredos e as sombras, a lua e o sol aberto no horizonte distante. Tudo se mistura a esse teu inconfundível jeito de ser e que me fascina tanto. O teu espírito é imenso, acolhedor de mundos, outras vidas, histórias, limites atravessados em extremo, provas superadas. E em tudo, ressalta esse teu lado tão humano, essa tua transparência, que tudo abarca, tudo envolve, e a tudo se dá em sinceridade plena, de coração aberto ao mundo.

Ali vejo-te tornado pequenino pela vastidão que o teu olhar abarca, tu, uma simples criatura, que faz parte de algo muito maior, mais poderoso, que nenhum ser humano seria alguma vez capaz de recriar e que desperta sentimentos que as palavras ainda não conseguem exprimir no seu todo.

Como te defines tu, face a toda essa imensidão que se estende à tua frente? Creio teres a mesma grandiosidade, a mesma plenitude, os mesmos vastos horizontes. Creio seres capaz de sentir e transmitir a mesma sensação de liberdade, de leveza, de espanto e deslumbre.

Não perdemos o momento, afinal não é todos os dias que podemos dizer: "Agora compreendo!". Ficamos ambos em silêncio cúmplice, eu e tu, rendidos ao entendimento de algo imensurável, que escapa à nossa limitada condição humana, que nos mostra o que realmente importa...

Há momentos que nos colocam no nosso devido lugar, que ensinam quem somos nós, afinal; que nos provam o quanto de belo e único deixamos escapar por entre os dedos, o quanto estamos constantemente a perder por olhar na direção errada. Momentos que enaltecem os encantos que este Mundo tem, apesar dos desafios inerentes à espécie humana. Há momentos que nos aproximam mais à nossa própria origem, à nossa essência natural, quando é fácil deixar escapar o menos bom dos nossos dias e sermos nós próprios, sem ter que provar nada a ninguém. Momentos assim tornam-se inconfundíveis, inesquecíveis. É quando mais apetece o amor, o teu amor. Não é isso que a tudo enriquece, que a tudo complementa? Ama-me então!

23 comentários

Comentar post

Pág. 1/2