Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Imperfeita Perfeição

02.12.23 | Sandra

px-downloadgc82ea4fbfcacab80ce0c4efc736fbbad44ebe5

Deito-me no deserto das tuas mãos

(Imenso vácuo de noites sem sonhos),

Enrolo-me no espaço dos teus braços que me seguram,

Cheios de galáxias mais antigas que este mundo,

E reconstruo-me,

Enquanto contas histórias de vidas passadas 

E enormes cidades erguem-se junto a nós.

Sabes do que eu gosto...

Deixas a tua voz vagar pelo meu corpo sem rumos nem becos.

Numa sentida provocação, sem pressas. 

Agarro cada palavra tua,

Deixo as sílabas à solta por dentro de mim:

Mapas, bússolas , ampulhetas que me prendem.

O grito da gaivota. 

A manhã virá como improviso,

Aurora desfeita pelas naves que partem para universos longínquos

Feitos de todas as Rosas dos ventos

E da História da Humanidade.

Mas até lá é noite ainda.

O deserto das tuas mãos onde me deito,

O espaço dos teus braços que me seguram,

São ainda o calor que acende muitas almas por aí 

E retira o poder ao passar do tempo.

Até lá, pertenço a ti e tu a mim.

Imperfeita perfeição na calada da noite.

 

27 comentários

Comentar post

Pág. 2/2