Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Leve, a Sombra

16.03.21 | Sandra

5345113_S.jpg

Vem comigo.
Deixa-te ficar apenas nas horas sem tempo que pairam na preguiça da tarde imóvel.
Um sol quente faz-nos companhia, senta-se connosco, também. Se o calor for demais, temos leve, a sombra.

Sentamos-se onde? Escolhe tu, que a tarde é soalheiro agrado.
Na areia morna da praia, onde todo um mar brilhante nos atinge de frescura e reflexos?
Na relva cheirosa do parque, onde patos descansam na lagoa e miúdos voam, cheios de riso nos balouços que vão ao espaço?
No velho banco de madeira, à sombra dos plátanos seculares, abrigo declarado de pardais sem idade?

Tanto faz! Mas vens comigo? O sol brilha, a brisa é quente, aproveitemos então!
Falemos de nós, de estações e relações, de antigas histórias e modernos poemas, de amores e amizade, de lugares e afazeres.
E um sol quente, sempre o sol, connosco, na tarde que queima, arde, abrindo-nos expetativas, risos, silêncios sem vento.

E já sabes, se o calor for demais, temos leve, a sombra.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.