Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

SEM NEXO

10.10.20 | Sandra

1203562_M.jpg

És um vago sentido, um mergulho sem nexo. És tudo aquilo que negava mas quero. Que até hoje afastava de mim, mas anseio. Não estás perto nem longe. Somente estás e eu sinto. Essa é a lógica: ausente, presente. E quem sem nexo mergulha, sou eu. Mergulho no que és, caminhos inquestionáveis que busco sempre sem ter como querer escapar, o meu cabelo em desalinho preso em dedos ávidos teus. Mergulho em devaneios onde não mando nos teus desejos, onde não questiono a tua boca, onde não conduzo as tuas mãos desenfreadas na busca de quem sou, que sou afinal para ti. Mergulho na ânsia das nossas palavras soltas à pressa e deixadas cair sem ordem no chão do tempo que permanece nosso. Apenas mergulho, sempre sem nexo, nesse teu vago sentido que sozinha arrasto a mim na hora em que o meu desejo cede. A imaginação é abstrata e sempre teima em unir-nos quando primitivas forças imperam em cumes longínquos onde a poesia ascende. Em todos os termos, era como se fossemos um só. Este mergulho é sem nexo, e por tanto, por tudo, já vale a pena.

26 comentários

Comentar post

Pág. 1/2