Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

Sílabas à Solta

POESIA | PROSA POÉTICA

CONTIGO

26.09.20 | Sandra

1578033_S.jpg

Pensar-te é partir para outra dimensão além de tudo o que é comum no meu momento atual. Com a força da gravidade sou elevada a um teu querer, mais antigo que tudo.

Viajo no silêncio do tempo ao teu encontro, num espaço que não conheço. Alcanças-me tu, por palavras pequenas, enquanto devagar o universo se expande. Aceito o nosso encontro, e és agora como fugitivo cometa que me carrega entre cerradas nebulosas onde estrelas nascem. É nascem sílabas à solta...

Sinto-me viajar contigo à velocidade da luz. Desarmo em mim forças poderosas enquanto conto na noite incontáveis estrelas, e por requintados truques da mente faço-as minhas, habito nelas...
E tu lá, sempre tu, em memórias reluzentes mas firmes! És feito da mesma claridade difusa que vem de todos os tempos. Chegas assim a mim, atravessando espaços tremendos e outras eras, para no escuro soltares no meu corpo a tua luz de várias cores, como quando uma poderosa luz atravessa um vitral colorido e quebra toda a cerrada escuridão do outro lado do vidro.

Desconhecidas rimas tecem-se em sentimentos vagos que não afasto de mim, e que nessa viagem pela noite, a todas gravo no papel. Sou só eu, apenas eu, mulher, menina, toda estrela cadente destinada a cair com mansidão sobre o teu corpo maduro feito de infinito. E tu, senhor, entre brumas e haraganos...

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2