Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

SER MAIS

29.12.20 | Sandra

5637622_S.jpgNada me encanta mais do que aquilo que eu sinto quando após o cinzento dos dias brilha a luz do sol. Algo maior que eu, que todos nós, lembra-me que ainda é possível acreditar, que o sonhar nem sempre é em vão e que temos direito a sermos nós mesmos, com tudo o que de bom e menos bom nos caracteriza enquanto espécie humana. Há dias assim, em que a força sai para fora de nós e eleva-nos a outros patamares. Em que algo no nosso íntimo sussurra que vale a pena rir, fazer mais, ser mais. Viver mais. Ver mais longe e ter fé em que tudo vai correr bem. Nesses dias de sol quero ser maior que o bem que há por aí, mais luz, mais calor, mais abraço.

Um dia destes, numa tarde de sol, sentei-me no banco do jardim, aquele onde sempre vou. O vento arrepiou-me. Cheguei-me ao sol, e ao vislumbrar, distraída, as folhas leves dos plátanos, decidi que era tempo. Tempo de eu ser o meu próprio tempo. Tempo de deixar de andar atrás de algo que não é retribuído, tempo de deixar de ser eu a ter a iniciativa e esforçar-me sozinha, tempo de voltar a saltitar leve entre as minhas convicções. Atirei tudo ao alto e deixei-me ficar ali, conquistada pelo sol risonho nas folhas dos plátanos. Afinal já tinha quase tudo o que precisava, e o que faltava, era comigo e com Deus.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.