Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

Sílabas à Solta

Textos de minha autoria. Imagens retiradas da internet. Qualquer reprodução dos meus conteúdos deve ser sempre feita com referência à minha autoria.

PRIMAVERA ANTECIPADA

28.02.21, Sandra
Vem, vem na manhã dócil que chega, plena em luz envolvente, quente, que abraça a minha pele em calor e maciez, cetim. Vem tu, vem a mim, e abraça-me também. Senta-te comigo na terra aquecida pelo sol, onde jovem, a relva, perfuma de promessas, o ar. Vem sentar-te comigo no meio das horas inocentes sem dono, nem gentes, quando todo o calor do sol cai despido em nós. Olha ali, as árvores! Ramos lisos cobrem-se já de mil rebentos que despertam sedentos, como secretos (...)

FILHO MEU

18.02.21, Sandra
Posso sentar-me ao teu lado? Gosto de te ver ao sol, corpo repousado nalgum banco de pedra ali colocado há já muito tempo. É lindo esse momento tão teu, em que te esqueces das horas e de tanto mais, para apreciares, descontraído, a tarde dourada que se mostra a ti em toda a sua beleza e força. Tu também és muito belo e forte. És uma dádiva que todos os dias dá um real sentido a quem sou. Ensinaste-me o que é realmente importante: esperar pacientemente; sonhar sempre, apesar de (...)

OFERECE-ME UMA FLOR

10.02.21, Sandra
Oferece-me uma flor qualquer cor, tanto faz, que a flor sempre é capaz de me mimar por mais um dia. Oferece-me uma flor comprada numa loja, ou apanhada num jardim, escolhe-a tu, para mim! Grande ou pequena, toda a flor armazena mistério, melancolia... oferece-me uma flor e dá-ma, com amizade ou espécie vaga de amor! Será, assim, parte de ti, em dias esquecidos de mim em que o frio envolve, sem piedade, o calor.

BASTA-ME

02.02.21, Sandra
Aguardo-te em cada neblina que sobe, onde pinheiros e eucaliptos sopram murmúrios de musgo. Chegaste de longe, quando o Tempo era um só, e os dias sempre se uniam às noites na mudança das estações. Nesses tempos distantes, músicas ecoavam no firmamento e segredos dormiam nas nuvens da madrugada. No silêncio imenso, guerreiros e fadas coexistiam em horas que perduravam. Tu eras então como uma espécie de viajante. Conhecias todos os lugares, os mais óbvios e os mais escondidos (...)

LUZ

26.01.21, Sandra
És como uma luz que facilmente atravessa tempos e memórias, para iluminar as certezas ambíguas destes dias singulares. Com uma claridade ímpar, clareias espaços onde o deslumbre ainda marca os sentidos indefinidos. Consegues transformar os dias em cetim branco, brilhante, macio, como um ameno lugar na mente onde estão todos os sonhos de todos os tempos e lugares. Pressinto-te suave e doce em incessantes buscas das horas que virão, e o caminho é todo ele uma gota luminosa onde os (...)

PAPEL CUMPRIDO

20.01.21, Sandra
Voltas sempre na chuva que cai incessante e indiferente ao passar dos minutos. A nostalgia já nos vestiu do cinzento do dia e o vento acalmou-se ao pousar a mão leve nos nossos ombros. O frio segreda-nos ao ouvido que um beijo seria o ideal para aquecermos mãos e almas, mas as mãos são precisas para segurar os guarda-chuvas que nos abrigam de um amor improvável. Provavelmente, esse amor cairia molhado junto com as gélidas e pesadas gotas de água que escorregam das nuvens (...)

SENTA-TE

17.01.21, Sandra
Vem sentar-te comigo ao sol. Vamos deixar o calor evaporar dos nossos corpos as horas passadas e as ideias esquecidas nalguma curva apertada. Senta-te comigo e deixemos as perguntas sob a areia quente onde o sal experimentou o horizonte distante que fala de desconhecidos mares e destemidos corsários de outros tempos. O mar despe-se á nossa frente, pleno das lendas que sereias deixaram quando a fase da lua mudou, e solta-nos amarras na sonolência do calor que nos desperta. Falemos (...)

ESPERANÇA

14.01.21, Sandra
A manhã sentou-se a meu lado. Encheu-me de vagares e fez-me todas as promessas do mundo. Falou-me de fé, enquanto a dourada claridade me acolhia doce, no seu colo. No calor do dia que se revelava e despertava em brilhos o campo ao meu redor, certezas tornavam-se inabaláveis. E a manhã falou-me de ti. Escutei-a nessa luz dourada que me abraçava em sorrisos. Disse-me que te conhecia desde as primeiras letras desenhadas pelo Homem na terra agreste e dura de outrora, quando cometas (...)

CERTEZAS FRIAS

05.01.21, Sandra
São noites gélidas, estas. Pressentem-te pensamentos singulares que o frio sempre me trás, sentimentos chegados do passado longínquo, ao agora. É isso mesmo que acabará por acontecer, conforme a lua for subindo no céu que por ela se deixa, sem esforço e com agrado, dominar. Tenho a sensação de que se eu falasse com a noite, ela me responderia. Está um frio duro, cortante. Nada se move no jardim e nos campos à minha frente. Nem uma folha, nem uma erva. E nem um fragmento de (...)

SE TUA

04.01.21, Sandra
Se sou tua, tua sou, então! Pega nessas palavras que arrebatado, siderado, desenhas no espaço vago que se abre a ti, e deixa-as caírem das tuas ansiosas mãos, desfeitas em sílabas à solta, despejadas leves, ao longo de mim! Esperei-te desde o inicio do sempre: ama-me, então, que te quero, que já anseio palavras tuas silêncios selvagens, deitados, em crua folha, chumbo nobre. Sou tua! Em letras garridas de cetim repouso, sonhando, esperando, por ti, em ti...